9 Motivos para não fazer plano de PREVIDÊNCIA PRIVADA

9 Motivos para não fazer plano de PREVIDÊNCIA PRIVADA

Olá,

Você investi ou pensa em investir em planos de Previdência Privada?

 

Hoje vou te contar os 9 motivos pelos quais não se deve investir em planos de Previdência Privada e o que você deve fazer para  garantir uma aposentadoria tranquila e com independência Financeira.

 

Então Venha comigo,

 

Sendo o Plano de Aposentadoria um dos Pressupostos do Coaching Financeiro e também um dos itens mais importantes na diversificação da sua carteira de investimentos, eu não poderia deixar de compartilhar com você sobre as vantagens e desvantagens de se ter o plano convencional, ou seja, plano de previdência privada.

pressuposto

 

 

Recentemente recebi dúvidas de leitores sobre o que fazer para ter uma aposentadoria tranquila e qual o melhor caminho a seguir.

 

 

Primeiramente Vamos entender o que é e como Funciona os Planos de Previdência Privada.

 

A Previdência Privada, ou previdência complementar, é uma modalidade de investimento que tem como principal objetivo garantir uma renda mensal no período em que você quer parar de trabalhar, seja por motivo especial, ou simplesmente porque deseja se aposentar.

O processo funciona da seguinte forma: você faz os depósitos e, de acordo com o que depositar mais o  rendimento que receber, você poderá começar a sacar desse fundo (total ou parcialmente) ou, em algumas situações, transfere todo o dinheiro acumulado para a empresa de previdência em troca de uma renda mensal.

A aplicação pode ser dividida em duas fases:

  • Fase de acúmulo: fase em que você deposita uma quantia mensal pré-estabelecida durante um longo período de tempo (normalmente de 20 a 35 anos);

 

  • Fase de renda: nesta fase você recebe o dinheiro (acontece logo após a fase anterior se encerrar).

Como qualquer outra aplicação, você não receberá apenas a mesma quantia que depositou durante todo o período.

Veja o Exemplo: Se depositou R$ 500 mensalmente durante  30 anos, o valor total dos depósitos será de R$ 180 mil. Contudo, o montante resgatado será igual ao valor depositado mais os rendimentos do período.

A rentabilidade da sua aplicação advém de aplicações feitas em renda fixa, na maior porcentagem.

size_810_16_9_ratoeira_john_evans_sxc

Os produtos disponíveis no mercado brasileiro são PGBL e VGBL.

Os planos de previdência não possuem qualquer tipo de garantia de rentabilidade, o que teoricamente significa que você poderá vir até a perder rendimentos.

Contudo, ao analisar os dados históricos, verifica-se que elas sempre rendem, na medida em que rendem também a renda fixa (principal alvo destas aplicações).

Veja abaixo em qual produto seu perfil se enquadra:

  • VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): Ideal para pessoas que fazem a declaração simplificada de IR, para profissionais liberais e/ou para quem já contribui com 12%, pois não é dedutível do Imposto de Renda.

 

  • PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre): Ideal para quem faz a declaração completa de Imposto de Renda, pois ele é dedutível em até 12% da base tributável do IR.

 

Independente do plano de previdência privada escolhido (PGBL ou VGBL), você precisará definir o regime de tributação que incidirá sobre seu investimento: tabela progressiva ou regressiva.

Taxas Cobradas 

 

Como sempre, as taxas são as grandes vilãs e na Previdência privada não é diferente. Fique atento a elas, pois os  bancos e as seguradoras não costumam esclarecer muitos detalhes.

veja:

taxa de administração

 

É a recompensa que a instituição / gestor estabeleci para receber pelo seu trabalho em administrar os recursos que você aplicou.

A cobrança é feita sobre o montante total aplicado ao longo de um determinado período.

Exemplo: caso seu plano tenha uma taxa de administração de 2% ao ano, se você investir inicialmente R$ 100 mil, o administrador do plano vai retirar, ao longo do ano, R$ 2000,00 do valor investido, independente da rentabilidade, Legal não?!!!

 

 

Taxa de carregamento

 

Essa taxa tem a função de arcar com os custos da empresa que administra a aplicação.

A taxa de carregamento incide sobre as contribuições. Funciona da seguinte maneira: de cada R$ 1,00 investido, apenas uma parte é efetivamente investida; a outra é utilizada para arcar com o custo da empresa.

Desse modo, uma taxa de carregamento de 1% equivale a investir R$ 99,00 para cada R$ 100,00 contribuído. A outra parte (R$ 1,00) é retida para compensar os custos em aplicar o dinheiro.

Taxa de saída

 

Cobrada no caso do resgate antecipado da aplicação. Contudo, a maioria das seguradoras executam esta cobrança apenas nos primeiros anos. Algumas seguradoras impõe prazos de carência para resgates e transferências externas parciais ou totais.

 Tipos de Renda da Previdência Privada

 

Atenção para variáveis que precisam ser definidas, independente do produto que você escolher. Escolha o tipo de renda desejado para que você receba os rendimentos da sua aplicação. São elas:

  • Renda temporária: você recebe uma pensão por um período determinado. Porém, quando você morrer o benefício “cessa”, mesmo que haja “saldo remanescente”.

 

  • Renda vitalícia: você recebe uma pensão mensal enquanto viver, ou seja, ao passar dessa para uma melhor o benefício cessa imediatamente, independente de eventuais “saldos remanescentes”.

 

  • Renda vitalícia reversível ao beneficiário: você recebe uma pensão mensal até falecer, e quando isso ocorrer, um percentual desse dinheiro é revertido a um beneficiário (indicado em contrato) até sua morte.

 

 

OK, Feito essa introdução, vamos partir para:

 

 9 motivos pelos quais não se deve investir em planos de Previdência Privada e o que você deve fazer para  garantir uma aposentadoria tranquila e com independência Financeira.

 

 

previdência

 

  1.  Rentabilidade Horrível

    É possível conseguir rentabilidade muito superior fora da Previdência Privada administrando o seu próprio dinheiro. As seguradoras dos Bancos / Instituições financeiras cobram absurdamente caro significando baixa rentabilidade. O que fazem é reinvestir o seu dinheiro e ficam com quase toda a rentabilidade adquirida pra eles através das Taxas. Alguns planos chegam a cobrar 10% de Taxa de carregamento  e 3% de Taxa Administrativa ao ano. Quanto menos dinheiro você investe, maior são as taxas cobradas.  É muito dinheiro deixado para estes planos. Agora imagine estes valores cobrados por décadas… Absurdo, não?!!

  2. Privação da sua Liberdade com  o Dinheiro

    Esse tipo de investimento te obriga a ficar preso a ele, ou seja, perderás a tua independência financeira sobre o montante aplicado durante décadas. Isso pode ser bom negócio para aqueles que são inimigos do dinheiro, pois quem passará a cuidar dele será uma empresa privada que cobra caro por isto (aí tá uma vantagem – para preguiçosos e acomodados e não educados financeiramente). Você perde absolutamente o poder sobre onde quer e pode investir, como exemplo da alocação de ativos. Lembro que tanto a economia quanto as suas necessidades mudam com o passar dos anos e você pode e deve ter o conhecimento necessário para gerenciar o seu dinheiro e planejar a sua aposentadoria.

  3.  Eles Fazem o que você pode Fazer

    A grande maioria dos planos de previdência mais conservadores investem a maior parte do seu dinheiro em títulos públicos. Poucas pessoas sabem que elas mesmas poderiam fazer este tipo de investimento sem pagar tão caro pelos intermediários. Através do site Tesouro Direto qualquer um pode investir em títulos prefixados, pós-fixados, indexados a taxa Selic  ou protegidos contra a inflação. (veja mais no Artigo >>> TESOURO DIRETO) Os custos são muitos menores, e a rentabilidade absurdamente maior.

    Se você tem ou deseja ter o conhecimento necessário para entender a diferença brusca de rentabilidade com relação a deixar o dinheiro com empresas privadas e você mesmo cuidar das suas aplicações, saberá que não é nenhum “bicho de 7 cabeças” e vale muito a pena adquirir o conhecimento ou contratar um consultor Financeiro para direcionar os teus passos (Consultor Financeiro).

     

  4. Simulações Mascaradas

    Muito bem, o simulador da previdência aceita tudo, fique esperto.

    Dependendo das taxas que você utilizar, o computador será capaz de transformar poucos depósitos mensais de R$ 100 em milhões. Um jogo de marketing que só mostra a rentabilidade nominal, ou seja, aquela que não está diminuída dos descontos das taxas.

    Na hora de vender o plano vale tudo (até que você pegue esse “tudo” e vá discutir no âmbito do Código de Defesa do Consumidor na Justiça). Lembre-se que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

  5. Altos custos dos Planos

    O problema dos custos é um dos mais sérios na questão dos planos de previdência. A esmagadora maioria das pessoas não está nem aí para eles (taxas de administração e carregamento) nem sabem da sua existência.

    Apenas para exemplificar, vamos comparar um fundo do tipo VGBL que cobre taxas de administração de 1% ao ano e de 3% ao ano.

    Se investir R$ 100, por 35 anos, você acumularia algo em torno de R$ 198 mil, se a taxa fosse 1% ao ano. Se optasse por um plano mais caro (3% a.a.), o valor acumulado seria de R$ 124 mil. Notou a “pequena” diferença?

  6. Em caso de Urgência pra usar o Dinheiro terás Problemas

    O caso mais comum é o de investidores que perguntam ao gerente qual a melhor aplicação para um dinheiro que vai ficar parado por cerca de três a cinco anos. Objetivando atingir as metas das instituições, o gerente sugere: “Vamos fazer uma previdência”.

    Certamente este não é o objetivo do produto. Até porque a tributação da previdência privada é muito mais alta que as demais aplicações para prazos mais curtos e a multa para quem deseja tirar o dinheiro antes do prazo estabelecido é gigantesca.

  7.  Cobra Taxa de Saída

    Trata-se de uma taxa cobrada caso você decida resgatar o montante investido antes de um determinado período, geralmente definido no momento da contratação. É uma espécie de “multa” , para tentar impedir que você desista do plano contratado.

    Ou seja, além de cobrarem altíssimas taxas ainda te multam por querer usar o SEU DINHEIRO antes de um certo período.

  8. Imposto Sobre Herança

    Outro argumento bastante utilizado é o imposto sobre herança (imposto sobre transmissão de bens).

    O problema é o seguinte: qual a taxa de administração e carregamento do fundo?

    Imagine que seu estado cobre 4% de alíquota do imposto. Se o carregamento for de 2,5% e a taxa de administração de outros 2% (supondo que uma taxa razoável seria inferior a 1% a.a.), logo de entrada você já pagou o imposto de transmissão estando vivo!

  9. Alto Risco

    Se a empresa que administra o seu PPP (plano de previdência privada) quebrar você perderá todo o seu dinheiro. O mesmo não acontece com outros tipo de investimentos que como CDB, Poupança, Fundos de Investimentos, letras Imobiliárias,  e etc, tem o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) que garante segurança a todos esses tipos de investimentos que citei, o limite é R$ 250.000,00 por CPF e por instituição. Desta forma fica mais seguro diversificar os investimentos em  bancos e / ou instituições financeiras diferentes.

O QUE NÃO FAZER?

 

Após tomar conhecimento disso, muitas pessoas pensam em resgatar o que investiram imediatamente para investir em títulos públicos, por exemplo.

Mas você não deve fazer isso, justamente por conta das taxas que podem incidir sobre a retirada e, principalmente, por conta do pagamento do imposto de renda, que pode chegar a 35% sobre sua rentabilidade, caso você decida resgatar nos primeiros 24 meses.

 

ENTÃO, O QUE FAZER???

 

 

Hengekøye-e1456431892536

 

Eu costumo sugerir três alternativas:

  1. Invista no seu conhecimento para saber quais são realmente as melhores opções de investimento para garantir seu futuro financeiro;
  2. Interrompa imediatamente seus aportes e direcione-os para as aplicações financeiras mais vantajosas para seu bolso;
  3. Ao invés de fazer o resgate, procure por um plano de previdência sem taxa de carregamento e com baixa taxa de administração (até 1% ao ano), e solicite a portabilidade, semelhante ao que ocorre na telefonia, por exemplo.

Atualmente existe a portabilidade de planos de previdência privada.

Se você possui um PGBL no banco ou seguradora A (que cobra taxas altíssimas) e está insatisfeito, você tem o direito de solicitar a transferência para outro PGBL no banco ou seguradora B (com taxas menores).

Esta é a atitude que deve ser tomada. Resgatar tudo de um banco para aplicar novamente em outro certamente vai gerar uma grande perda de dinheiro, por conta das multas e da tributação que incidirá sobre o valor resgatado.

E para quem ainda não Começou o Plano de Aposentadoria e deseja começa-lo, O QUE FAZER???

Para estes, sendo disciplinados e realizando aportes mensais eu indico os Títulos Públicos, a rentabilidade real é muito maior e a liberdade sobre o seu montante aplicado também é muito relevante. Existem vários tipos de Títulos do Tesouro Direto que podem perfeitamente ser substitutos dos planos de previdência Privada, possibilitando rentabilidade de até 3 vezes maior.

O Tesouro IPCA +, por exemplo , rende uma taxa fixa + o índice de inflação de inflação. Isso te garantirá proteção do seu dinheiro contra as volatilidades da inflação. A grande sacada é você comprar esse tipo de Título com a data de vencimento parecida com a data que você pretende resgatar o valor do seu plano de aposentadoria.

Faça uma simulação AQUI !!!

e Se ainda tem dúvida, nos envie um e-mail para:

contato@carteirainteligente.com

Conclusão:

 

Sim, é um assunto complicado e polêmico, muitas pessoas são a favor da previdência mesmo com essas desvantagens.

Bom, esse é o meu ponto de vista e eu não poderia deixar de te alertar quanto às verdades que muitas vezes passam desapercebidas e nos são empurradas pela falta de conhecimento.

 

O Melhor investimento é em conhecimento, esse ninguém pode te roubar…

Contudo, existem pequenas vantagens em se ter o tradicional Plano de Previdência e se fosse a única modalidade de investimento para a aposentadoria eu a indicaria, pois tem, pelo menos, a função de complementar à aposentadoria e/ou garantir a faculdade dos filhos.

Vou ficando por aqui…

 

Se quiser aprender mais sobre Títulos Públicos click AQUI;

 

Aguardo o seu comentário , a sua curtida e compartilhada..

 

E se permanecerem as dúvidas e desejar um papo mais profundo ou orientação financeira click na imagem abaixo:

 

Consultor - Lucas Santos

 

 

Forte Abraço,

 

Lucas Santos – Coaching Financeiro

 

Post author

Responda